Quarta-feira, 30 de Maio de 2007

Entrevista com um Profissional de Astrofísica (Astronomia)

Nome:

Cristina Andreia da Costa Fernandes

Profissão:

 Doutoramento em Astrofísica

Local (ais) de trabalho:

 Universidade de Oxford

Faculdade onde se formou:

 Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

Anos de trabalho:

Quase um ano

Dificuldades que encontrou na entrada para a faculdade:

Alguma indecisão na escolha do melhor curso (entre Física e Astronomia) e melhor instituição para seguir a carreira de Astrofísica.

 

Dificuldades que encontrou no decorrer do curso:

Não muitas. O curso não e, em geral, muito fácil, mas imagino que nenhum outro curso deve ser.

 

Que tipo de formação seguiu para exercer a sua profissão? Estagiou? Como foi?

Tirei o curso de Física/Matemática Aplicada (Astronomia) na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Este curso não tem estagio propriamente dito, mas tem uma cadeira chamada "Estagio de Astronomia Observacional" que consiste em dois projectos que se aproximam muito ao que os Astrónomos profissionais fazem em termos de análise e tratamento de imagens e espectros. Esta cadeira foi muito útil. Poderia ter sido útil ter tido um projecto final de curso, que o meu curso não tem, mas, ate agora, ainda não me ressenti por isso.

 

Quando terminou o curso, teve dificuldades em ser colocado?

Concorri a 6 Universidades diferentes (todas no estrangeiro) e fui chamada para entrevista ou aceite em 4 destas. Terminei o curso com uma media que me permitiu assumir que ia ter bolsa de estudos para um doutoramento (bolsa por parte da Fundação para a Ciência e Tecnologia), portanto concorri a estas Universidades com financiamento quase assegurado. Se assim não fosse, acho que teria sido muito mais difícil ser aceite.

 

Qual a razão que o levou a optar por esta profissão? Teve dúvidas ao optar ou estava certo em relação ao que pretendia?

 

 Gosto de Astronomia há bastante tempo e tinha o objectivo de me tornar uma investigadora nesta área, por isso optei por este curso e esta profissão. Sim, tive algumas duvidas principalmente porque e' difícil conseguir-se um emprego permanente em investigação e quando se consegue este não e, em geral, bem pago, para alem de que e muito difícil conseguir-se um lugar na Universidade que se pretende. Mas decidi arriscar e ate agora não me arrependo, principalmente porque na licenciatura de Astrofísica adquiri muitas ferramentas que me permitem aprender com facilidade outras áreas se a certa altura decidir mudar de carreira.

 

Como decorre a evolução na sua carreira profissional?

Penso que corre bem, embora ainda esteja muito no início (só comecei em Outubro de 2006).

 

Aspectos negativos e positivos da profissão:

Aspectos negativos:

 E uma profissão bastante instável no sentido em que estabilidade para um Astrofísico só dura 3 ou 4 anos, que e o tempo médio de uma bolsa. O percurso normal de um investigador depois da licenciatura e: um mestrado (1 ou 2 anos), doutoramento (3 ou 4 anos), primeiro pos-doutoramento (3 ou 4 anos), segundo pós-doutoramento (3 ou 4 anos) e finalmente emprego permanente (apenas se o investigador for muito bom). Todas as instituições valorizam a mobilidade e experiência dos investigadores pelo que estas diferentes etapas devem ser feitas em Universidades diferentes, dai que esta não seja uma profissão muito estável, pelo menos ate se obter uma posição permanente.

Frequentemente as Universidades exigem que os investigadores ensinem, uma vez que o financiamento em investigação vem quase sempre do ensino. Nem sempre os investigadores teme vontade ou competência para ensinar.

 

Aspectos positivos:

É uma profissão extremamente interessante e que evolui muito rápido.

É uma profissão em que há muitas oportunidades para se viajar por todos os cantos do mundo (há observatórios espalhados por toda a parte e conferencias, Workgroups e encontros)

Em geral há um bom ambiente de trabalho nos departamentos de Astrofísica (os que conheci ate agora). As pessoas costumam ser amigáveis, sociáveis e pouco conflituosas.

 

 

Actualmente, a sua profissão corresponde às suas expectativas iniciais?

Sim, ainda não tive oportunidade de me desapontar com nada importante, mas, como disse, ainda estou muito no início.

 

 

publicado por marisacplima às 11:29

link do post | comentar | favorito
|

.posts recentes

. ...

. Escola Secundária Francis...

. ...

. Como surgiu este blog?

. Testes de Orientação Voca...

. Processo ERASMUS

. Processo de Bolonha

. Concurso Nacional de Aces...

. Acesso às Universidades E...

. Entrevistas

. Entrevista a um Profissio...

. Entrevista a um Profissio...

. Entrevista com um Profiss...

. Entrevista com um Profiss...

. Cursos/Universidades

. Ortoprotesia

. Psicologia

. Medicina

. Geologia

. Fisioterapia

. Fitoquímica e Fitofarmaco...

. Técnico De Radiologia

. Terapia Ocupacional

. Técnico de Prótese Dentár...

. Técnico de Análises Clíni...

. Anatomia Patológica, Cito...

. Arqueologia

. Astronomia

. Biólogo

. Técnico de Cardiopneumolo...

. Engenharia do Ambiente

. Enfermagem

. Engenharia Geografica

. Engenheiro Aeronáutico

. Engenheiro Agrónomo

. Engenheiro Biomédico

. Engenharia Civil

. Farmacêutico

. Medicina Dentária

. Medicina Nuclear

. Medicina Veterinária

. Meteorologia

. Neurofisiologia

. Nutricionismo

. Oceanografia

. Optometria e Ciencias da ...

. Química e Bioquímica

. Técnico de Radioterapia

. Técnico de Farmácia

. Terapêutica da fala

.pesquisar

 

.Maio 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
22
25
26
27
28
29
31

.informação de autores

.arquivos

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds