Segunda-feira, 21 de Maio de 2007

Medicina Nuclear

O técnico de medicina nuclear participa na realização de exames de diagnóstico, por imagem ou radioimunoensaio, utilizando fármacos marcados com isótopos radioactivos e nas suas aplicações terapêuticas.

 

As suas funções incluem:

  • O contacto directo com os doentes;
  • A preparação e administração dos radiofarmacos;
  • A execução de diversas técnicas imagiológicas, com ou  sem inclusão de processamento computarizado;
  • Estudo e averiguação da morfologia e funcionamento dos órgãos humanos;
  • Determinação da localização e forma de tumores ;
  • A manutenção e execução de um programa de controlo, de qualidade, laboratorial e instrumental;
  • A preparação e informação dos doentes;
  • A adopção, adaptação e o desenvolvimento de normas de protecção e segurança contra radiações.

Os equipamentos que estes profissionais utilizam são tecnologicamente avançados, sendo os mais correntes os detectores de cintilação (como as câmaras gama), baseando-se o seu funcionamento em processos de captação e transferência de energia de radiação gama emitidas pelo doente. Os sinais luminosos resultantes da interacção da radiação com a matéria são transformados em sinais eléctricos que, por sua vez, são amplificados através de sistemaselectrónicos complexos até à formação de imagens, que são fotografadas em película radiográfica ou em papel específico para o efeito. A interpretação da distribuição e captação da radioactividade pelos diversos órgãos no doente, bem como o relatóro final do exame cabe ao médico de medicina nuclear.

 

Formação e Evolução na Carreira

Ingresso: 12º Ano

Grau: Bacharelato + Licenciatura

 

Entidades Formadoras:

  • Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa*
  • Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto*

*Ensino Público

 

            Estes cursos incluem aulas teóricas e práticas e períodos de estágio. Os seus planos curriculares são compostos por disciplinas gerais de base como anatomo-fisiologia, citologia e histologia, bioquímica, patologia geral ou física aplicada, aumentando progressivamente o número de disciplinas mais específicas, tais como física nuclear aplicada, medicina nuclear aplicada, técnicas de laboratório, radiobiologia ou protecção e segurança radiológicas. Além disso, é habitual incluírem disciplinas complementares no domínio da sociologia, psicologia e métodos de tratamento de dados.

 

Emprego

            A grande maioria dos técnicos de medicina nuclear exerce a sua actividade por conta de outrem nos grandes hospitais públicos com serviços de medicina nuclear e nos estabelecimentos especializados em doentes oncológicos, designadamente os Institutos Portugueses de oncologia de Coimbra, Lisboa e Porto. Um menor número de profissionais trabalha também em clínicas privadas, instituições de investigação e estabelecimentos de ensino superior.

            A sua situação actual no mercado de trabalho pode considerar-se positiva, já que há uma grande procura destes técnicos, quer por parte dos serviços públicos de saúde quer por parte do sector privado. Os casos de duplo emprego são, por isso, muito frequentes entre estes profissionais. Esta procura relaciona-se, em grande parte, com o reduzido número de indivíduos com a formação qualificante exigida, face às crescentes necessidades dos estabelecimentos de saúde, em termo0s geográficos, a procura destes profissionais está limitada aos grandes centros urbanos, nomeadamente às cidades de Lisboa, Almada, Porto e Coimbra, já que só nestes locais existem serviços de medicina nuclear.

 

Condições de Trabalho

No sector público, estes profissionais têm um regime normal de trabalho de 35 horas semanais (ainda que haja regimes especiais de 42, 24, e 20 horas). O carácter urgente de alguns tratamentos ou o número elevado de doentes leva a que tenham, por vezes, de realizar horas complementares durante o período nocturno e aos fins-de-semana. No sector privado, a carga horária praticada é, regra geral, idêntica à da função pública, pois o limite das 35 horas semanais não deve ser excedido, considerando, os efeitos nocivos para a saúde da exposição excessiva a radiações. Os que possuem duplo emprego têm, necessariamente, uma carga horária semanal mais pesada.

  

Remunerações

 

Carreira de Técnico de Diagnóstico e Terapêutica

Categoria

Remunerações

Técnico Esp. De 1ª Classe

1488€ a 1935€

Técnico Especialista

1328€ a 1632€

Técnico Principal

1176€ a 1442€

Técnico de 1ª Classe

949€ a 1252€

Técnico de 2ª Classe

834€ a 1100€

           

publicado por marisacplima às 13:03

link do post | comentar | favorito
|

.posts recentes

. ...

. Escola Secundária Francis...

. ...

. Como surgiu este blog?

. Testes de Orientação Voca...

. Processo ERASMUS

. Processo de Bolonha

. Concurso Nacional de Aces...

. Acesso às Universidades E...

. Entrevistas

. Entrevista a um Profissio...

. Entrevista a um Profissio...

. Entrevista com um Profiss...

. Entrevista com um Profiss...

. Cursos/Universidades

. Ortoprotesia

. Psicologia

. Medicina

. Geologia

. Fisioterapia

. Fitoquímica e Fitofarmaco...

. Técnico De Radiologia

. Terapia Ocupacional

. Técnico de Prótese Dentár...

. Técnico de Análises Clíni...

. Anatomia Patológica, Cito...

. Arqueologia

. Astronomia

. Biólogo

. Técnico de Cardiopneumolo...

. Engenharia do Ambiente

. Enfermagem

. Engenharia Geografica

. Engenheiro Aeronáutico

. Engenheiro Agrónomo

. Engenheiro Biomédico

. Engenharia Civil

. Farmacêutico

. Medicina Dentária

. Medicina Nuclear

. Medicina Veterinária

. Meteorologia

. Neurofisiologia

. Nutricionismo

. Oceanografia

. Optometria e Ciencias da ...

. Química e Bioquímica

. Técnico de Radioterapia

. Técnico de Farmácia

. Terapêutica da fala

.pesquisar

 

.Maio 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
22
25
26
27
28
29
31

.informação de autores

.arquivos

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds