Quinta-feira, 24 de Maio de 2007

Engenharia do Ambiente

Os engenheiros do ambiente estudam os problemas de forma integrada, nas suas dimensões ecológica, social, económica e tecnológica, com vista a promover a adequada gestão de qualquer sistema, assegurando um desenvolvimento equilibrado e sustentado.

·         Desenvolvem e promovem a utilização de energias alternativas;

·         Dirigem e fazem a manutenção de redes de águas domésticas ou pluviais;

·         Colaboram na gestão das zonas costeiras, definindo os espaços destinados à urbanização, aos desportos náuticos e à utilização balnear;

·         Executam tarefas de recuperação e manutenção de zonas legalmente protegidas: parques naturais e áreas com ecossistemas inalterados ou pouco alterados pelo homem.

 

Emprego

Os engenheiros do ambiente podem trabalhar em:

·         Administração pública (central, regional ou local),;

·         Empresas (industriais, prestadoras de serviços e concessionárias e de consultadoria);

·         Ensino (secundário ou superior);

·         Investigação;

·         Associações ambientalistas.

 

Aqueles que trabalham na administração pública central e regional estão, essencialmente, encarregues da componente normativa e fiscalizadora, bem como da gestão e conservação de ecossistemas e zonas legalmente protegidas.

Os que integram os quadros das câmaras municipais (administração pública local) ocupam-se, sobretudo, do planeamento e ordenamento do território, da gestão e exploração dos sistemas de abastecimento de água, da gestão e exploração dos sistemas de drenagem e tratamento de efluentes e dos sistemas de recolha, tratamento e destino final dos resíduos sólidos.

Os profissionais que trabalham nas empresas industriais podem ser responsáveis pela gestão e exploração dos sistemas de controlo da poluição e pelos sistemas de gestão ambiental, enquanto que os que trabalham em empresas prestadoras de serviços e concessionárias se encarregam das actividades de gestão e exploração dos sistemas de saneamento básico (águas, efluentes líquidos e resíduos).

Os que trabalham na área da investigação dedicam-se, por exemplo, à concepção de novos sistemas de tratamento de águas residuais, à poluição do ar, ao estudo e modelação matemática de ecossistemas e ao desenvolvimento de eco-produtos e energias alternativas.

Nas associações ambientalistas desenvolvem, entre outras acções, programas de educação ambiental.

 

Formação

Ingresso: 12º Ano

Grau: Licenciatura

Duração: 5 anos

        Neste curso, destacam-se as ciências de base, como a Matemática e a Biologia, as ciências de engenharia (como a mecânica dos fluidos e o comportamento de materiais), as ciências do ambiente (ecologia, entre outras), as ciências sociais (como a economia e a sociologia do ambiente) e as tecnologias de informação (como a programação e sistemas operativos).

 

Evolução na Carreira

        Regra geral a carreira inicia-se com um estágio de seis ou doze meses, consoante se trate do sector privado ou público. O facto desta ser uma área de actividade recente tem permitido uma evolução na carreira relativamente rápida, com destaque para aqueles que trabalham em empresas de consultoria.

 

Condições de Trabalho

        As condições físicas de trabalho variam consoante o tipo de operações a realizar.

            Quando, por exemplo, se planeia uma rede de saneamento básico utilizam-se gabinetes com equipamento informático.

            Tratando-se de investigação relacionada com eco-produtos, o trabalho decorre em laboratórios equipados com os instrumentos necessários à avaliação dos efeitos nocivos dos produtos no ambiente.

            No caso da conservação de uma zona protegida, é necessário desenvolver algum trabalho de campo, fazendo o levantamento dos elementos que compõem a zona.

            Relativamente ao horário praticado pelos engenheiros do ambiente, este varia com o tipo de entidade patronal. Assim, os que trabalham na administração pública praticam um horário semanal de 35 horas semanais, enquanto que os que estão no sector privado praticam um de 40 horas semanais.    

 

Remunerações

       

ESCALÕES

1

2

3

4

Técnico Superior

 

 

 

 

Assessor Principal

2.203,34

2.389,54

2.575,74

2.792,97

Assessor

1.893,01

2.048,18

2.141,28

2.265,41

Técnico Superior Principal

1.582,68

1.737,85

1.830,95

2.017,15

Técnico Superior 1ª Classe

1.427,52

1.474,07

1.551,65

1.691,30

Técnico Superior 2ª Classe

1.241,32

1.287,87

1.349,94

1.412,00

Estagiário

962,02

-

-

-

 

publicado por marisacplima às 11:29

link do post | comentar | favorito
|

.posts recentes

. ...

. Escola Secundária Francis...

. ...

. Como surgiu este blog?

. Testes de Orientação Voca...

. Processo ERASMUS

. Processo de Bolonha

. Concurso Nacional de Aces...

. Acesso às Universidades E...

. Entrevistas

. Entrevista a um Profissio...

. Entrevista a um Profissio...

. Entrevista com um Profiss...

. Entrevista com um Profiss...

. Cursos/Universidades

. Ortoprotesia

. Psicologia

. Medicina

. Geologia

. Fisioterapia

. Fitoquímica e Fitofarmaco...

. Técnico De Radiologia

. Terapia Ocupacional

. Técnico de Prótese Dentár...

. Técnico de Análises Clíni...

. Anatomia Patológica, Cito...

. Arqueologia

. Astronomia

. Biólogo

. Técnico de Cardiopneumolo...

. Engenharia do Ambiente

. Enfermagem

. Engenharia Geografica

. Engenheiro Aeronáutico

. Engenheiro Agrónomo

. Engenheiro Biomédico

. Engenharia Civil

. Farmacêutico

. Medicina Dentária

. Medicina Nuclear

. Medicina Veterinária

. Meteorologia

. Neurofisiologia

. Nutricionismo

. Oceanografia

. Optometria e Ciencias da ...

. Química e Bioquímica

. Técnico de Radioterapia

. Técnico de Farmácia

. Terapêutica da fala

.pesquisar

 

.Maio 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
22
25
26
27
28
29
31

.informação de autores

.arquivos

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds